sábado, 24 de dezembro de 2011

O Pantheon

"A mais bela ruina romana é, sem dúvida, o Pantheon. Este templo sofreu tão pouco, que se apresenta a nós, como os romanos os viram em seu tempo."
 Stendhal, Passeios romanos

Pantheon, com as amigas

O Pantheon, que em grego quer dizer "todos os deuses") é um edificio da Roma Antiga, construido em homenagem a todos os deuses do Olimpo. Os habitantes de Roma o apelidaram de la Rotonna ("la Rotonda"), apelido que pegou também à praça em frente.

Família da Eliane, que fez um tour maravilhoso em Roma em Dezembro de 2016


O primeiro Pantheon foi construido entre 27 e 25 a.C. pelo Imperador Marco Vipsanio Agrippa, amigo e genro de Augusto, durante o período de trabalhos no Campo Marzio (depois vamos ver o que isso significa). A construção foi realizada por Lucio Cocceio Aucto. O lugar escolhido foi entre a Saepta Iulia e a Basílica di Nettuno, ambos os dois realizados por Agrippa.

Pantheon, minhas primas em 2013

No alto lemos uma inscrição: M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIVM.FECIT ("Marco Agrippa, filho de Lucio, cônsul pela terceira vez, construiu") que vemos até hoje na sua entrada, graças aos constantes restauros que o mantiveram vivo depois dos dois incêndios que o destruíram.

Interior do Pantheon, luz entrando através da cúpola aberta
O edifício que vemos hoje foi rescontruido pelo Imperador Adriano entre os anos de 118 e il 128 d.C..

No séc VII d.C., o Imperador Foca doou o Pantheon ao Papa Bonifácio IV, que o converteu em igreja cristã e a chamou Santa Maria dos Mártires. Dando graças a Deus que isso aconteceu, este maravilhoso edifício chegou tao íntegro a nós. Vocês imaginem que em 380, quando o cristianismo virou a religião do estado romano (e imaginem vocês, que período interessantíssimo na nossa Roma!), a ferócia dos primeiros cristãos desejava apagar todos os símbolos da antiga religião, e isso atingia todos os templos antigos.

Altar do Pantheon

Naquele momento, o papa eliminou todas as estátuas de deuses pagãos e à medida que os séuculos passavam a decoração cristã foi sendo enriquecenda, e hoje temos lindos afrescos do Renascimento.

O espaço interior é formado por um cilindro coberto por um semi-círculo. O seu diâmetro é de 43,44 m.

Os materiais utilizados


A construção era feita em tijolos e revestida em mármore - típico modo de construir romano e em contraposição aos gregos, que construiam diretamente em mármore. Hoje em dia temos mármore somente na entrada e no seu interior, quatro tipos.

A inscrição da fachada é feita em letras de bronze. O frontão (decoração do tímpano) era decorado com figuras em bronze, fixadas ao fundo com pinos: a posição dos furos que vemos hoje leva os arqueólogos à hipotise de uma figura com uma grande águia com as asas abertas.
As oito colunas são de granito cinza ou vermelho, material que veio de cavas do Egito.
Os capitéis sao coríntios, com bases em mármore branco e pentélico (branco com com leve coloração amarela que faz com que pareça dourado sob pouca iluminação), vindos da Grécia.
O piso em mármore apresenta esferas e quadrados, desenho original romano e possui um dreno para recolher a água da chuva que entra pela abertura da famosa cúpola.

A cúpola do Pantheon

 



Pantheon no dia de Pentecostes, com chuva de pétalas

A cúpola foi moldada sobre uma estrutura e foi feita de uma massa de tufo e pedra-pomes. O seu diâmetro é de 43,44 m, e foi realizada com somente uma fundição e decorada no seu interior por 5 ordens de 28 alvéolos (em forma de caixotões). Estes alvéolos ajudam a render a sua construçao mais leve, além de decorá-la.

A sua cúpula é a maior que chegou até nós da antiguidade e foi durante muito tempo a maior de toda a Europa Ocidental, até a construção da cúpula de Florença,por Brunelleschi, em 1436!

Aí vai mais uma lenda romana: Dizia-se que apesar da abertura circular no seu teto, a água da chuva não entrava na igreja. Na verdade isso acontecia devido ao chamado "efeito chaminé", causado pelas infinitas velas acesas no seu interior, que produziam tanto ar quente, e este por sua vez, impedia a entrada da chuva, se fosse bem fraquinha.

Personagens ilustres enterrados no Pantheon


Túmulo de Rafael

Os pintores Rafael e Annibale Carracci , o arquiteto Baldassare Peruzzi, e os reis de Itália: Vítor Emanuel II e Humberto I, além da mulher de Humberto I, Margarida I.

Para compreender Roma são necesessários anos de estudo de arte, arquitetura e arqueologia e outros tantos anos para aprofundar este conhecimento e escrever artigos como este. Escolha uma guia profissional pois ela fará uma grande diferença na sua estadia.

Para fazer um tour na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário